literatura, política, cultura e comportamento.
seja em santa maria, em alegrete, no rio de janeiro, em osório ou em liechtenstein.
na verdade, tanto faz.

29 de setembro de 2009

Religiosidade

"São Miguel Arcanjo," 1615, por Luis Juarez, México. Óleo em madeira - 67-3⁄4 x 60-1⁄4, Museu Nacional de Arte/INBA, Cidade do México.

Estava hoje pela manhã levando o Miguelzinho para a creche, caminhando de mãos dadas sob o sol, quando ao nosso lado uma senhora surgiu tecendo elogios ao menino, comparando-o a um anjinho. Ao responder qual era o nome dele, essa senhora perguntou se ele fazia aniversário, pois é dia de São Miguel Arcanjo. Revelei que ele não era aniversariante, e confessei que não sabia da data do santo anjo. E assim ela começou a falar da hierarquia entre anjos e arcanjos, e da importância de Miguel, Gabriel e Rafael para o projeto divino. Como também conheço as passagens bíblicas, complementava a conversa.

(Pausa para falar da minha posição a respeito da religião: Não me considero um ateu, embora cada vez mais me seja difícil a crença no sistema cristão, que reproduz no além o modelo de sociedade terrena. Pois bem: o ateu (generalizando) desdenha a religião justificando-se no acaso e apegando-se à ciência. Ora, isso tende a transformar o Acaso em entidade demiúrgica, e o discurso científico em dogma. Ou seja, me é insuficiente. O fato de não me apegar à idéia da existência de deus não quer dizer que também duvide da sua existência. O mundo não se resumiria apenas ao que é visível, ou se uma forma geral, perceptível aos sentidos: haverá uma parte visível e outra invisível, uma concreta e passível de racionalização, e outra para qual predomina o mistério. E, sendo mistério, me é impossível seguir adiante e tentar revelá-lo. O inexplicável deve manter-se inexplicável, não como alienação, mas como forma de fugir das tentativas de explicar o que é inexplicável, sob o perigo de cair em representações frágeis, insinceras e manipuláveis. Se confuso? Confesso que estas não são posições estanques e de modo algum definitivas, e por vezes contraditórias. E lógico que a minha formação católica por vezes fala mais alto. Como fruto desses valores, que revelam quem sou, apagar a minha formação seria apagar parte de mim próprio e de minha história).

Assim, essa senhora falava da importância de Gabriel como arcanjo anunciador, Rafael como arcanjo responsável pela cura (sempre gostei do livro de Tobias) e Miguel como o arcanjo guerreiro. Assim, como é próprio do discurso místico-religioso, ela trazia esses significados em torno do homônimo de meu filho para o seu futuro. Por mais que se acredite ou não nessas abordagens, deve-se considerar sobretudo que elas revelam um tal grau de simpatia, que é capaz de transmitir afeição gratuita a desconhecidos. Gosto disso.

Até que, próximo à esquina em que seguiríamos caminhos diferentes (a encruzilhada, sempre significativa) ela reiterou que o nome do Miguel não era gratuito. E a ele estaria previsto o papel de instrumento de paz nesse mundo no qual se está perdendo valores. Nesse momento minha resposta foi o mais sincera possível; não que não eu tivesse sido sincero antes, mas a minha busca maior sobre perguntas do que sobre respostas me encabula diante de tamanhas convicções religiosas. Respondi-lhe que sim, que ele haveria de ser um instrumento de paz, como cada um de nós é: todos nós temos responsabilidades sobre o mundo que moldamos. Ela concordou. E eu deixei marcada com isso a minha posição política.

2 comentários:

Anônimo disse...

E QUAL É ARELIGIOSIDADE DO MEXICO AFINAL?

Pablo BERNED disse...

Ahn? Mais uma pérola de anônimos por esse blog... O nosso querido leitor põe no google as palavras-chave do que procura e não decanta o que pode e o que não pode corresponder às suas expectativas... Desculpem-me, mas em nenhum momento foi do interesse de quaisquer postagens nesse blog discorrer sobre a "religiosidade do México".

De qualquer forma, estamos à disposição para trocas de ideias. Muito me satisfaz cada comentário nesse blog, e agradeço a todos que colaboram por aqui. Mas por aqui também aparece cada anônimo...

Postar um comentário

BLOG DO BERNED
literatura, política, cultura e comportamento.
seja em osório, em santa maria ou em liechtenstein.
na verdade, tanto faz.

.::: Após o sinal, deixe o seu nome, e a cidade de onde está falando :::.